nadar!

 

 

 


 

Mundial de Roma: O melhor mundial de todos os tempos

De: http://www.finalsports.com.br/03/comando/headline.php?n_id=109741&u=0%5C
Date: 03-08-2009

o

Brasil encerrou no domingo a sua melhor campanha na história do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos. O país conquistou quatro medalhas (duas de ouro, uma de prata e uma de bronze), 18 finais na natação, um recorde mundial, nove recordes de campeonato, seis tempos das Américas e 32 novas marcas sul-americanas.

oo

A festa começou com Poliana Okimoto ganhando o bronze nos 5 quilômetros de maratonas aquáticas e quebrando um jejum de 15 anos do Brasil fora do pódio mundial. A delegação contou ainda com um número inédito de finais no nado sincronizado, cinco em seis provas, e colocações também mais altas. Os saltos ornamentais conseguiram, com César Castro, entrar no grupo dos cinco melhores do mundo. No polo aquático, Camila Pedrosa terminou como vice-artilheira da competição, com 16 gols, empatada com a grega Angeliki Gerolimou e a espanhola Gil Blanca. Um resultado que colocou a nação entre os principais da natação internacional - em oitavo lugar - e entre os ‘top 10’ de todos os esportes aquáticos.

ooo

O presidente da CBDA, Coracy Nunes Filho, acredita que Roma inaugurou uma nova era para os esportes aquáticos no Brasil. "Foi realmente fantástico. Tenho que agradecer a todos os que nos ajudaram a chegar aqui. Agradeço aos Correios e ao ministro das comunicações Hélio Costa. Sem esse auxílio não teríamos disputado o Mundial. O importante é saber que só este ano já tivemos mais de 40 recordes de campeonatos por categorias. Essas marcas eram de atletas que hoje estiveram brilhando no Mundial. Isso significa que temos uma geração inteira de talentos quase prontos para começar a chegar perto dos principais. Por isso o Brasil está na luta para transformar o Troféu Chico Piscina (competição de atletas infantis) em uma competição da FINA. Ali é o celeiro de onde saíram Cielo,Thiago, kaio e todos os que hoje estão no topo", informou.

oooo

O supervisor técnico de natação da CBDA, Ricardo de Moura, se emocionou com o resultado e disse que o primeiro impacto de tudo o que aconteceu em Roma é o aumento da credibilidade. "Ganhamos mais que medalhas, ganhamos credibilidade. Cada geração colocou um tijolo para construir isso que vemos hoje. Primeiro foi o desafio de fazer semifinalistas, depois finalistas e aí por diante. Tivemos um nível de eficiência forte. Isso significa que 82 por cento da delegação chegou pelo menos até a semifinal. O Brasil é um país sensacional, tem um quantitativo para o esporte fantástico. Temos hoje 60 nomes já mapeados que podem chegar em 2012. É uma geração espetacular. Um dia vamos chegar a um ponto em que não precisaremos mais de índices e poderemos levar os dois melhores tempos de cada prova na seletiva", disse.